19.6.08

Mood: Regina Spektor, Samson

O jogo começava
a miudagem toda lá estava
No recinto surdo
um eco de percussão.

Joana a um canto apertada
inaugurava o coração
torcendo a vitória de onze
por um só João.

Suava pela bola
o homem, p'ra já rapaz
adiantando às raparigas
do que era capaz.

Ela batia palmas
abrindo alas a um festejo seu
mas João por timidez
chutou p'ra canto e encolheu.

Sublimou o embaraço
por inchaço de pavão
acenou de qualquer mão
às raparigas ao lado.

Coração pontapeado
da grande área
p'ra linha solidão
Joana zero, um-zero João.

Um dia vê-a já senhora
tanto jogos e finais depois
e em vez de uma,
agora jogavam dois.

Ela. Ainda embalava a rua
ontem pura hoje dança
O amor adulto alheio
era seu recreio de criança.

Ela. Quem dera ter-lhe dito
sempre embalara a rua
e desse querer secreto
que [ainda que a prolongamento]
a vitória fosse sua.

Joana zero, zero João
moral da história: timidez
empata o coração.



3 comentários:

Sandro disse...

Amiga... MUITO, MUITO BOM!

E sim... a timidez por vezes empata o coração...

0-0

Penumbra disse...

Joaninha... um beijo linda cheio de saudades.

Vim visitar-te... e perdi o teu numero. Tens de me o dar navamente.:(

Beijo

oblocodenotas disse...

Vencendo a minha, pequena, timidez.

Devo ser mais um dizendo, mas vá lá:

Bellos textos, de encher o coração mesmo. Não pare de escrever que do lado de cá do oceano têm quem leia e goste muito!

Um beijo