Mood: Portishead, Roads



Serei tua.
Não hoje. Não amanhã.
Serei tua, talvez não mais.
Mas entre o tempo morto, 
vivemos furiosamente.
Rasgámos a superfície do toque. 
Demos-lhe vinho,
alma, mel e vísceras.
Ali onde alheia a nós
a cidade demitiu-se de som
ao ritmo da pele, 
quieta na rebentação.
E na soma dos segundos
Do fôlego apenas
saberes que te era, 
naquele buraco do tempo,
para sempre, talvez.

Comentários

Anónimo disse…
When your debt is overwhelming you can easily go with a Debt Consolidation loan to consolidate credit card debt and other financial obligations that has become overwhelming.
Anónimo disse…
This blog is awesome! If you get a chance you may want to visit this PDF Writer site, it's pretty awesome too!
Anónimo disse…
Just thought I would visit and ask that you return the visit. Thanks!

Data Recovery Systems
H. disse…
Gostei da foto... muito
E das tuas palavras... urgentes
E da forma como terminaste... tocante
... e da música de Portishead que dá título ao post que há pco tempo conheci...

=)
Penumbra disse…
Ohh, can´t anybody see
We´ve got a war to fight
Never found our way
Regardless of what they say

How can it feel, this wrong
From this moment
How can it feel, this wrong

Storm.. in the morning light
I feel
No more can I say
Frozen to myself

I got nobody on my side
And surely that ain´t right
And surely that ain´t right

Ohh, can´t anybody see
We´ve got a war to fight
Never found our way
Regardless of what they say

How can it feel, this wrong
From this moment
How can it feel, this wrong

;)
whitesatin disse…
Momentos eternos, que brilharão para sempre na memória.
Lindo!
Beijinhos
ebola disse…
O tempo é o que fazemos dele, desde que sintas que é para sempre então será.*
«Closer
No hesitation
Give me
All that you have

And it's been so long, that I can't explain
And it's been so wrong
Right now, so wrong

Naked
My thoughts are creeping
To late
The show has begun

And it's been so long, that I can't confess
And it's been so wrong
Right now, so wrong

Is it all as it seems
So unresolved, so unredeemed
If I remain, how will I know

And it's been so long, that I can't be sure
And it's been so wrong
Right now, so wrong»
Aquilo que acima deixei, por lapso não identifiquei.
«Humming» dos Portishead, do álbum "Portishead" (1997)
Mikado disse…
Somos para sempre de muitos alguéns, apanhamos a carruagem de muitos desejos, de muitos aparentes amores, mas enquanto estivermos na carruagem, enquanto a estação terminal estiver longe, que percamos o folego no sangue quente que se funde num torrente de prazer.
Lu disse…
Nossa é show seu blog sua foto...

Cheiro

Eli disse…
:D
Andreia disse…
isto diz-me muito...
enfim...*

Mensagens populares