Mood: Damien Rice, Cold Water

Ouvir

...E no entanto, olha para nós agora
onde cada minuto era demasiado
passa o tempo ileso ao nosso lado
Onde guardaste tu aquele amor?
fala-me dele. Esteja onde for.


E apague a pressão dos dedos teus 

ainda entrelaçados nos meus,
que não deixam que te largue

Onde antes se deitaram palavras
há músicas, cheias vazias de ti
Prefiro silêncios

a ouvir nelas que não estás aqui.

Onde antes eram desejos elevados um no outro
as bocas o voraz encontro
Agora o nada das esperas
estas mãos vazias de te apertar nelas


Antes era o cheiro nosso
no escuro adormecido
E na penumbra de teu vulto nú
nos resíduos da pele suada

precisar mais nada

Antes era o grito
o rasgares carne e o afecto em mim
Ainda ouvirás na tua, minha pele
chamar por ti assim?

Comentários

ebola disse…
Não sei bem porquê sempre gostei de frases começadas por "e no entanto...". bjs
Bem...lembras-te de me dizeres uma vez que eu tinha partido a loiça toda? Pois desta vez foste tu quem o fez...arrepiaste-me os pêlos todos, xiça! Absolutamente LINDO este texto. Até hoje, de todos eles, foi o que mais me impressionou e marcou. Dizer que Amei é pouco. Um Beijo grande maninha;) *
Lana disse…
ao lê-lo fico com a frase " e no entanto, olha para nós agora" a ecoar-me ca dentro vezes sem conta... **
Mikado disse…
Olhei para o teu texto e pensei "Que longo!", mas deixei-me ir na correnteza do teu pensar, do teu sentir intenso e senti-o como meu, verbalizaste aquilo que já senti por um alguém que me perdeu. É assim, as pessoas perdem-se umas às outras, deixando-nos como testamento uma saudade que insiste em se entranhar no nosso sentir!
Continua a escrever maravilhosamente como tens feito até aqui
Sandro disse…
Sim, olha para nós agora...
Mas a vida é esperança, e cada respirar, faz-nos acreditar que ainda é possivél!
Olha para nós agora, mas como estaremos nós amanha?

Escreves cada vez mais ao meu coração.
Adorei...
Beijo amiga
Richie disse…
"Onde antes cada minuto era demasiado
passa agora o tempo ileso ao nosso lado"

E assim se descreve tão bem o que nos acontece quando estamos apaixonados... e depois... quando tudo passa. Momentos tão contraditórios, que descreves com aquela magia nas palavras tão tua, e que se ligam com o final do texto:

"Como era mesmo a tua pergunta?
"como é que alguém já te perdeu?"...

...E no entanto, olha para nós agora"

E aqui está a incoerência do amor, a sua fragilidade arrepiante. No início, olha-se para aquela pessoa especial e perguntamos... mas como é possível que alguém já te tenha tido... e te tenha perdido? Tu, que és tão especial.
... E no entanto, olha para nós agora. E afinal... também nós a perdemos.
Que complexo é o amor...
mas... não vivemos sem ele, é um vício a que voltamos sempre. E ainda bem! Como dizia Pessoa: Vale sempre a pena, quando a alma não é pequena! E o futuro é esperança e merece um sorriso.

ADOREI o texto Joana! Por tudo o que tem de emoção, porque faz pensar e porque perdura...

Beijinhos grandes e até... mais ler :o)
Marta disse…
oix. gostei imenso do teu blog. escreves mt bem. parabéns.
Anónimo disse…
Enjoyed a lot! »

Mensagens populares