O Miguel já aprendeu mais 2 letras

O Miguel já aprendeu mais 2 letras... e como isso me encheu de orgulho, como fiquei feliz por ele. São mais dois grandes passinhos que ele dá na sua vida. O Miguel é o menino com quem faço babysitting e que mudou a minha vida nos últimos quatro meses.
A criança que, no alto dos seus (quase) dois anos, é já o maior fã de Caetano Veloso. Quantas horas temos passado em frente àquela aparelhagem onde ele me deu a conhecer o "Fina Estampa ao vivo". O quanto ele vibra e dança. O quanto me surpreendeu ao ver que ele sabia pôr os CDS a tocar e que mudava as faixas para a frente ou para trás consoante o que mais lhe agradava. As descobertas que ele me permitiu fazer com ele!
O Miguel surgiu na minha vida numa altura conturbada. Não sei se algum dia ele virá a saber o quanto a sua sabedoria de criança me ajudou a superar os meus dilemas. Mas assim foi. Assim tem sido sempre que vou para "tomar conta dele". Com ele eu permito-me ser igualmente criança. E ele gosta muito. Naquelas horas em que brincamos somos os melhores amigos. (Sou também, claro, a figura protectora que cuida). Sei tudo o que preciso saber para gostar dele incondicionalmente: é apaixonado por música, tem um fascínio por autocarros, detesta ser penteado, adora cenoura cozida e é a criança mais alegre que conheço.
E por isso puxa-me para dançar e agarra com toda a sua mãozinha no meu dedo indicador para apontarmos os dois em conjunto para qualquer coisa que ele descubra. Costumo sentar-me no chão com as pernas "à chinesa" enquanto danço e marco o ritmo das ‘Bossinhas’ que tocam; e ele ao meu lado acompanha, rindo, batendo palmas e marcando o ritmo dele tal como eu faço. Gosta de puxar pela minha mão e pô-la na coluna sentindo a vibração da música e depois ri-se e diz "tá-tá" (já está) e depois leva-me a mão até à outra que está avariada, encolhe os ombros e levanta os bracinhos e as mãos "- em-pa-pou!!"- empanou quer ele dizer, ou seja, avariou!
Criei com ele aquilo que acabou por ser um ritual. "Vou calçar as pantufas Miguel, já venho" (ponho as mãos em concha à volta das suas bochechas e dou-lhe um beijinho) . Ele veio atrás sem eu dar conta. Olho e está à porta com a sua chucha e mãos atrás das costas, com um ar muito adulto de quem espera uma coisa muito importante. A hora de brincar é uma coisa muito séria. Percebo a sua ansiedade. "São as pantufas mágicas da Joana Miguel, calço-as sempre antes de irmos brincar". Sorriu e começou a olhá-las de maneira diferente. Há qualquer coisa de mágico com estas pantufas e que tem a ver com o início das nossas brincadeiras. Calçar as pantufas mágicas é sair do papel "distante" do adulto e entrar no mundo mágico da brincadeira com ele. É ser criança com ele. E ele percebeu isso perfeitamente. E sempre que as calço ele lá está à porta a rir-se para mim. 
Também é verdade que foi uma solução que arranjei para não riscar o chão à mãe. Mas acima de tudo foi para criar um espaço de fantasia naqueles bocadinhos em que brinco com o meu pequeno amigo.
Quando o acordo ficamos sempre um pouco à janela e também nesse momento ele me mostra o que vê. Ri-se, ri-se muito. Com o autocarro que passa, com os pássaros que vê e que ele logo aponta- deixando uma dedada brutal na janela- e diz te-té (que é pássaro em ‘miguelês’). Lembro-me há pouco tempo de se rir muito. Ria, ria em grandes gargalhadas. Perguntei-lhe o que via. "áua"- respondeu. Água. Qualquer coisa tinha rebentado na rua e havia um repuxo de água que fazia um efeito bonito. O ‘maravilhamento’ das crianças! 
O Miguel é uma criança muito especial, será sempre para mim. Gostava muito de ter o privilégio de o ver crescer.

Guardo em mim o momento em que, após inúmeras tentativas para o deitar (quarto à escuras; a caixinha de música a tocar pela enésima vez)...e... pela primeira vez ele deitou a cabeça sobre mim...aconchegou-se ao meu pescoço e deixou-se dormir no meu colo. A música da caixinha tinha acabado, só se ouvia alto o bater do meu coração e o que lhe cantava baixinho para o embalar. Que momento da minha vida. Tudo o que havia dentro de mim derreteu. Dificilmente haverá experiência mais bonita do que sentir amor verdadeiro por uma criança.
Imagino ser mãe...que vontade.

Comentários

Sandro disse…
O Miguel é um rapazito cheio de sorte!!
Sem duvida!
beijo grande
ebola disse…
É engraçada essa tua história com um menino... Eu também tenho tido uma experiência muito interessante com a minha afilhada... já tem 4 anos... tenho pena que as minhas alterações de humor não permitam que aprenda mais com ela... é que eles sabem muito...
Richie disse…
Hoje entrei neste teu mundo encantado, sem pedir licença, pela porta da frente (como escreveste algures) e peço desculpa pela ousadia. Deixei alguns comentários... sugeridos pelo que escreves e pelo que senti ao ler.
Aqui quero apenas dizer-te que entendo mt bem a magia dessa tua relação com o Miguel, eu tb tenho um "Miguel", que é a minha "xokito", uma Luz mt especial na minha vida! Quem sabe um dia... te conto esta história tão especial e transcendente :o) Por agora fica a minha ternura por essa teia linda de sentimentos que soubeste apreender, mimar, e deixar crescer em ti e nele! Bem hajas! Se o meu Pedro e a minha Inês alguma vez precisarem... adoraria que ficassem ao teu cuidado. E isto dito por um pai, é o melhor elogio que posso fazer-te! E eu sei... que não é isso que procuras, mas apeteceu-me fazê-lo. Porque sim! Um beijo
mood disse…
Este comentário foi removido pelo autor.
Anónimo disse…
Este comentário foi removido por um gestor do blogue.

Mensagens populares